sábado, 20 de setembro de 2008

Mundo ANIMAL 2

Bizarro.

A repórter Cleide Klock, o cinegrafista Márcio Ramos e o auxiliar Silva, da RBSTV, foram agredidos com ameaças quando trabalhavam na cobertura do velório de Harry Paulo da Silva, hoje à tarde.

Eles estavam no velório do garoto, em um ginásio de esportes do município de Alfredo Wagner, quando escudeiros da prefeitura começaram a ameaçar a equipe.
Não se sabe o nome da mulher que incitou as pessoas. Sabe-se apenas que atende pela alcunha de Reginona.

O presidente do Ginásio do Rio Engano (déspota desenganado) chamou a Polícia Militar para que a imprensa fosse retirada do local.

Os policiais chegaram para cumprir o pedido, porém, os trabalhadores resistiram dizendo que os pais haviam autorizado a presença deles. Os soldados da PM foram até os pais de Harry e tomaram conhecimento da permissão.

Mas não ficou nisso. A polícia se dirigiu ao fotógrafo do Diário Catarinense, Guto Kuerten, intimidando-o. Ordenaram que parasse de fotografar. Ele, óbviamente, negou-se a obedecer. A polícia, então, disse que iria recolher o equipamento.

Segundo a Cleide, eles desistiram da ação depois de saber que se tratava de um fotógrafo do DC. Deixa disso.

Bom, não me espanta a falta de respeito dessas pessoas durante o velório do menino.

A equipe evitou confusão e ficou de longe, sem forçar nada, considerando o momento de perda daquela família.

5 comentários:

JAMES PIZARRO disse...

Há meses tentaram, a partir de iniciativa do Planalto, fazer uma nova "Lei de Imprensa" que praticamente liquidava com a liberdade de expressão da mídia no Brasil. Os jornalistas e seus órgãos representativos, OAB, CNBB e outras organizações respeitáveis protestaram tanto, que Lula "et caterva" desistiu do intento.
Agora, a questão dos grampos nos telefones, as escutas, etc...
E Nelson Jobim, na TV, pedindo providências severas contra a "irresponsabilidade de alguns jornais"...blá...blá...blá...
Eu já vi este filme em 1964. E a complascência e a inércia de quase todos, naquela época, custou caro. Custou desaparecidos. Torturados.Censura.E cerca de 25 anos de regime duro. Eu mesmo passei anos duros naquela época de chumbo.
Agora está ocorrendo a mesma coisa. E ninguém está se dando conta disso.
Aconteceu antes.
Acontecerá de novo.
Tenho penas dos meus cinco netos.

James Pizarro

vera regina disse...

Bom Dia, meu amigo

depois do que li, a respeito da cobertura da morte do menino, só espero que o dia de ontem fique no passado. que o dia de hoje seja de esperança que a democracia vencerá em sua plenitude.
continuemos a luta...

Mas diante deste episódio, tive uma imensa felicidade de saber que o professor James Pizzaro está por aqui. Seja benvindo professor, pai da Ecologia em Santa Maria, professor da UFSC, homem de rádio(Antes que a Natureza Morra, era o seu programa na Rádio niversidade da Federal de Santa Maria). Quem sabe o senhor não veio para ajudar a salvar o que ainda resta da bela Ilha de SC. Também foi bom ouvir o hino rio-grandense em seu blog.
Um abraço,
Vera Maria- RBS-TV- Fpólis

Fabiano Marques disse...

Que maravilha!
Nas palavras de Bob Dylan: "Um arco íris depois da tempestade."
Essa internet é mesmo o bar da esquina do mundo.
Bom ver a Verinha encontrando o professor.
abrasssss

JAMES PIZARRO disse...

Puxa vida...quealegira para um final de domingo ler o recado da Vera Regina.
Pena que não pude nem escrever para ela e nem conhecer seu blog, pois ele é inacessível ao comum dos mortais. E só permitido para quem tem senha.
Mas podes tu ser o portador do meu beijo megaestelarpizarrônico para ela.
Qualquer dia vou escrever sobre o poder de ressucitar pessoas que o mundo virtual tem.
Abração

James Pizarro

carol disse...

Deveríamos transportas as autoridades daquele município no "pau de arara" para sentirem na pele o que as crianças enfrentam para poder ao menos chegar até a escola!
Que vergonha, e os políticos de lá? Como estão se comportanto neste período eleitoral? Será que estão fazendo propostas para melhorar? ou estão dando a mesma desculpa de que o município já pediu ajuda ao governo do estado e este nada fez?
Será preciso morrer mais um?
Em época de eleição é assim mesmo, basta lembrarmos das promessas e cobrar com rugudez!
A culpa também é nossa que muitas vezes nos omitimos.
A imprensa vai contunuas em cima, mesmo com represálias da polícia e prefeitura e etc, e tal!!!